Situações

Comprando revistas em uma banca de jornais

-Bom dia.
-Bom dia, senhor. Está procurando alguma revista especial?
- Sim, gostaria de uma revista de palavras cruzadas.
- Elas estão nesta prateleira, separadas por níveis.
- Obrigado.
- De nada. Mais alguma coisa?
- Gostaria também de levar um jornal de circulação diária e uma revista onde possa encontrar a programação cultural desta cidade.
- Bom, vamos por partes. Aqui estão os jornais: se o senhor se interessa por esportes, este aqui é o melhor. Agora, esse aí sai muito, todo mundo lê, por aqui. Aquele é mais sério, mais conservador.
- Obrigado, vou ficar com este.
- Quanto à revista, esta é a que sai mais. Costuma acabar já na terça-feira. Ela vem com um encarte aqui dentro, onde o senhor pode saber de todos os filmes e peças de teatro que estão passando aqui na cidade.
- Eu não sou daqui, não conheço quase nada. E restaurantes, bares, essas coisas, eles têm também?
- Ah, sim! Deixe-me lhe mostrar, vou abrir uma. Então: como o senhor pode ver, os restaurantes estão divididos de acordo com a especialidade e com o bolso do freguês. Quanto aos bares, também, além disso, dão algumas “dicas”.
- Algumas o quê?
- “Dicas”. Desculpe-me. Dicas são informações novas, pouco conhecidas. É uma gíria, sabe. A revista comenta quem freqüenta o bar, qual o estilo, se tem música ao vivo ou não. Essas coisas.
- Ah! Obrigado. Vou levar esta revista. Quanto é tudo?

voltar